Por uma vida sem excessos…

… e pelo autoconhecimento.

É esta a filosofia de vida que decidi levar de agora em diante.

Cheguei à conclusão de que eliminando coisas em excesso, seja do meu guarda-roupa ou da minha própria vida, conhecerei melhor à mim mesma; os meus gostos, o meu estilo; O que funciona ou o que só esteve lá para ocupar espaço extra.

Tudo começou quando, do nada, senti a necessidade doida de fazer uma limpa em meu quarto: meu armário, meus produtos de beleza, minha mesinha de cabeceira. Mandar embora cremes e maquiagens vazios (sou só eu que acho legal colecionar potes?), roupas que não me servem mais, dar uma organizada na minha pequena bagunça. E foi tão libertador desocupar espaços desnecessariamente preenchidos! Decidi então fazer disto um hábito. Percebi que dando espaço para a limpeza estarei aberta a coisas novas.

E essa minha tentativa de organizar minha vida foi um dos motivos pelos quais decidi voltar com o blog. O outro, foi um processo de autoconhecimento que sinto que estou passando. Deve ser coisa de horóscopo, daquelas “Você está passando por um processo de transição em sua vida. Mande embora tudo que seja desnecessário. Você passará a se conhecer melhor e ter uma vida mais leve. Não se esqueça de registrar tudo em um blog!”. Depois que terminar de escrever esse texto, vou até conferir meu horóscopo da semana pra ver se bate.

À partir disso tudo, senti uma vontade imensa de registrar todos os posts do meu blog mental (quem não tem um?). Afinal, em tempos áureos, eu mantive este blog por muito tempo e com muito amor, e por falta de vontade e preguiça fiquei parada por um tempo quase maior. Então este espaço será um tanto quanto egoísta. Sua maior finalidade será registrar, para mim mesma e também para quem tiver interesse (afinal, compartilhar é a hashtag oficial da década da selfie) um pouco das coisas que eu gosto, que me chamem a atenção, ou que eu tenha vontade de gritar para o mundo todo saber. Aqui será uma espécie de um caderninho de anotações (obviamente tenho um em versão física também – acho que por isso que a aula de filosofia sobre Foucault que falava sobre hupomnemata foi a que mais me marcou).

Então, basicamente a ideia é compartilhar e por para ‘fora’ da caixola minhas descobertas (que podem nem ser novas pra você) e pensamentos sobre os mais diversos assuntos que passarem a me inquietar e que façam parte dessa minha nova fase de me autoconhecer.

Será que eu enrolei tanto, pra em resumo, dizer que estou voltando com meu ‘diário virtual’?